quinta-feira, 29 de outubro de 2009

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

exposição



semana passada vi também a exposição dos artistas contemporâneos argentinos no ccbb. tenho muita ligação com a argentina, cheguei a ter carteira de identidade argentina quando criança, castellano foi a minha terceira língua, adoro passear em buenos aires, amo o cinema argentino.fiquei um tempão interagindo com a obra de mariano sardón - livro de areia. esta  santa ceia, de nicola constantino,é melhor ainda ao vivo, claro,tem sobre ela duas portas que abrem e fecham que não dá pra ver por aqui.fiquei com essa imagem na mente, essa ironia da artista e hoje passou em mim o seguinte pensamento: como é bom se expor, doar o corpo, a voz, as pernas, o amor, ser feliz junto, ter ideais, arte vivenciada no dia a dia, claro que isso provoca a queda de muitas máscaras, escancara a face escura e oculta do coração de alguns outros.
ontem pensei muito numa amiga querida que está viajando muito com uma peça, pensei...e ela ligou e estava aqui ao lado de casa. foi uma delícia reencontrá-la, ver essa mulher jovem cheia de vontade e com a sensualidade cada vez mais sábia, tratando a vida como a vida merece ser tratada. ela lembrou como nos conhecemos,no ensaio geral de um monólogo em que eu dirigia a minha filha, um texto pungente baseado numa história real de uma menina de rua que foi sodomizada pelos sistemas oficiais de recuperação (?!), adaptada de um livro do meu marido. conversamos um monte e no final lembramos daquela campanha publicitária da volskwagen - você conhece , você confia. e como é raro  pessoas dispostas a se conhecerem de fato.agora, enquanto escrevo, me lembrei de uma frase de hermann hesse, que me tocou muito na adolescência: quando duas rotas amigas se encontram, o mundo todo se torna o tão sonhado porto. e hoje completo: a gente se abastece nesse porto para que cada um de nós cumpra a sua própria rota.sem medo de expor a que veio.

boemia sábia


entreouvido ontem à noite no bar luiz, centro centenário da boemia e belle èpoque carioca:
"chegou um momento em que os nossos valores se revelaram diametralmente opostos. então não há por que sofrer pela percepção do outro.

certo dia um outro sujeito me perguntou o quanto eu gastava com tintas e se ele pagasse as tintas, que desconto eu lhe daria por um quadro de minha autoria.disse que não queria vender meus quadros para ele.
é a mesma coisa."
ah...também andei aprendendo a não perder mais tempo com gente que não entende e, pior, não quer entender nem vivenciar nada sobre amor e amizade.essas pessoas enviam sinais desde o começo,a gente é que decide adiar o fim...quando a verdade escancara e se precipita diante de nossos olhos é, na verdade,um presente!é como se a vida gritasse: até quando você vai bancar o babaca? por um tempo ainda fica aquele choque por termos permitido tanto abuso. essa é a questão, agimos de boa fé mas permitimos abuso...essas pessoas na verdade ajudam a purificar a nossa percepção (de quem quer e cria condições) para que não se repitam desgastes inúteis. uma coisa é fato: todo aquele que não quer, não consegue transformar a si mesmo, serve-se da energia dos outros.e se apresenta de uma maneira que realmente engana, caso contrário não completaria seu objetivo de só tirar proveito. delicadeza não é hipocrisia, delicadeza é sinônimo de sinceridade.e sinceridade é uma conquista, alguns tem desde o começo,começando consigo mesmo, outros nunca saberão o significado prático disso, são experts em acumular e provocar traumas e choques, criam uma casca bem e tão grossa sem nem mais se darem conta disso.ingenuidade é prejudicial ao equilíbrio ecológico.



eu disse para ela


 eu disse para ela: engraçado...ao ver esta foto linda da sua amiga dentro de um carro e a frase "quando crescer eu quero me casar", fui para uma outra dimensão.nunca pensei em me casar como objetivo principal da minha vida. mas um dia cresci tanto, meu espaço ficou pequeno, apertado para tanta gente que decidi que queria me comprometer com um homem só e, através dessa relação, fazer uma viagem intergaláctica,aqui mesmo, no corpo, no coração e na mente.lembro até que pensei que estava disposta a pagar o preço dessa passagem. nunca gostei de excursões do tipo "conheça a europa em tantos dias", nunca gostei de ser turista voraz, fotografar correndo os lugares, ouvir um guia disparar um monte de informações decoradas, correr pra aproveitar o tempo...nem com lugares, nem com gente. sabe aquele papo de que se você conhecer muito bem a sua própria aldeia estará conhecendo o mundo?

tudo por um real


lembrei daquele amigo marcante fazendo a seguinte analogia: sabe as lojas de tudo-por-um-real? vivem lotadas.e vivem mudando de endereço. mas se você olha para dentro das lojas imensas da h.stern, por exemplo, elas vivem vazias mas se expandem e existem nos melhores pontos do mundo.



passou pela minha cabeça que tudo-por-um-real é como cogumelo que aparece em bosta de vaca depois da chuva.o chá desses cogumelos é alucinógeno...já tive amigo que ficou lesado pra sempre depois de um chá desses.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

diálogo e não diálogo

diálogo e não diálogo. comunicação e incomunicação. incomunicação não quer dizer falta de comunicação.incomunicação é incapacidade de compreensão, incapacidade de fazer real e verdadeiro contato = pessoa que, por exemplo, aprendeu a ler e escrever mas não absorve, não compreende, não faz a menor idéia do que está lendo.um amigo contava neste domingo sobre a pesquisa que fizeram sobre a incrível percepção dos cachorros em relação aos seus donos, a capacidade que os cães tem de pressentir a  volta de seus donos a casa, a muita distância de tempo e espaço. chegaram à conclusão que o canal que abre essa long distant percepção dos cães é o canal de afeto e amor que os une a seus donos.gente com gente é bem mais complicado...rimos. e quando falta capacidade cognitiva e afetiva de mente e coração então...é o caos...telefone sem fio,no final a mensagem sai toda truncada -  mesmo com todo o avanço tecnológico,o que acaba prevalecendo em muitos casos é  o ruído das mentes e corações poluídos.mesmo ao vivo, olho no olho.( e quem não conhece gente que dedica toda atenção aos seus cachorros e esquece e destrata sua própria família humana?) tem de tudo.a verdade é que o diálogo é o melhor ponto de fuga dos guetos desumanos.para quem ainda cuida e mantem o coração e a mente funcionando.


segunda-feira, 26 de outubro de 2009

texturas





 o tempo que cria novas texturas,novas leituras,levanta novas camadas de possibilidades,revela o que estava escondido,exibe o aspecto do que é visceral,varre o que não deve ficar,expressa o que não deve calar.

domingo, 25 de outubro de 2009

de olho na linha de sombra


olho - da série derrapagens - de regina silveira

 adorei isso >(adorei tudo)>a exposição estrutura-se em torno do conceito de sombra, cuja definição mais comum é uma ausência parcial da claridade provocada por um corpo iluminado. no entanto, talvez poucas palavras contenham significados tão distintos, literais ou figurados, quanto sombra: claridade atenuada; sinal ou marca; fantasma ou espectro; abajur; rastro ou vestígio, sonho ou aparência; idéia vaga ou noção sutilmente inusitada de algo; segredo, mistério.
(do catálogo de apresentação da exposição linha de sombra de regina silveira no ccbb





válido para sempre


things that break - shelley lane

 sentimentalismo é o que há de mais prejudicial à saúde

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

vaso



nós fazemos vasos de barro mas a verdadeira natureza deles está no vazio interior, disse lao tzu.
depois do almoço ficamos lá fora, naquela extensão imensa do campo, observando as coisas que preenchiam e interferiam naquele espaço e pensando nisso.a casa no meio do vale, o vaso vazio na porta de entrada, a proporção, a relação, o diálogo entre o vaso e a casa e entre eles e as montanhas, o rio, nossas pernas estendidas na grama, como ocupavamos o espaço a cada instante. que viagem...me lembrei dessa cena vendo este vaso.e depois ele ,de volta da china, nos ensinando movimentos lentos, exercícios que nunca tinhamos feito e todos nós descobrindo um outro ritmo.o silêncio, eu observando a linguagem de cada corpo que se movia ali de um jeito único, energia particular.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

escolhas



o ítalo (ítalo rossi, ator) dizia uma frase linda: nós éramos felizes e sabíamos, comentou fernanda montenegro nos seus 80 anos.fiquei pensando nisso rapidamente, enquanto lia...me identifiquei com esse era e sabia, talvez por isso não sou saudosista, sempre vivi minhas escolhas intensamente,os momentos tristes também. sabe quando você se entrega e não sobra mais nada para dizer depois? algumas vezes até a chance que dei para que me ferissem, dei, dei, dei e chegou uma hora em que disse chega! fecho a porta e nem olho para trás. minha mãe ficava bastante impressionada com essa minha capacidade. fecho a porta mesmo,deleto o link totalmente. gosto e preservo espaço limpo, ventilado, claro.nesse espaço não cabem mágoas, se alguém tentou sujar fui eu que permiti, gravo a lição e agradeço.quando estou esvaziada questiono algumas escolhas que possam estar provocando algumas insatisfações presentes mas logo me retiro desse blábláblá inútil, afinal fui eu que escolhi com os instrumentos que tinha à mão naquele momento, ou seja, eu mesma.e sempre dá pra mudar para melhor, o tempo não é estático. afinal quem escreve a minha própria história sou eu.como posso machucar a pessoa mais responsável por mim mesma, eu? (vem cá, você acha, sinceramente, que alguém que se aprimora a cada dia em ferir a si mesmo pode mesmo amar o outro?). gosto de gente emocionalmente inteligente, gente que busca, cava e traz novos olhares. uma coisa é buscar ter discernimento apurado, estar conectado com a realidade, com a percepção ampla,limpa, crítica,sagaz e sugestiva e outra é ficar nesse blábláblá de desculpas,avaliações sem sentido que nada mudam.

=


esta semana lembrei de um amigo, jornalista, que cansado de presenciar tanta ignorância e hipocrisia só engrossando o caldo da miséria humana, dizia: alguém acredita que dá pra transformar a corrupção participando dela?



outro dia pensei nisso: alguém conseguiu dialogar com pessoas como hitler, reverendo moon, pinochet e tantos outros exemplos drásticos da história, para que eles pensassem sobre a vida de um outro jeito ? tem gente que faz essa opção mesmo (em variadas escalas, menores que esses exemplos extremos,mas tudo variações da mesma nota).parece que crescem com todos os sentidos obstruídos,principalmente a audição, se aprimoram tanto em entupir cada vez mais seus sentidos que a mente e o coração dessa gente só promove o caos para quem está desatento.já vi esse filme.só buscam usar tudo e a todos como um meio para seu próprio proveito.e, vamos combinar, que proveito?!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

sistema falido


passion or hobby - fashion designer nicolas petrou

"muitas pessoas deixam a vida passar, elas seguem o sistema de recompensa e punição de outra pessoa. acabam geralmente punindo a si próprias e recompensando as pessoas erradas." wayne shorter

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

antes que seja tarde demais


linda atmosfera neo, neo, neorealista



neste final de semana estava lendo o segundo caderno do jornal 'o globo', editado por fernanda montenegro,mais uma homenagem aos seus 80 anos.pensava como ela é um ser humano rico, o que fez com que ela se tornasse essa artista cheia de experiências e talento em ação. lia os bilhetinhos que ela escreveu para justificar a escolha desta ou daquela matéria e me deliciava com a linda percepção dela.as fotos desta mulher de 80 anos, seu semblante e energia são um incentivo para quem pretende chegar aos 80 com a juventude pulsando íntegra e madura na vida, sem falsos artifícios.finalmente cheguei ao bilhete que o filho dela, o cineasta claudio torres, escreveu para a mãe arlette pinheiro, sob o título a atriz que derrotou o tempo e descobriu o segredo da vida.fiquei muito tocada com tudo o que ele falou. pensei que as pessoas que convivem intimamente são as mais autorizadas a revelar o que a pessoa é de fato.lembrei de todos os bilhetes que recebo do meu  marido e da minha filha, em momentos de alegria, durante e após tempestades, que são um presente sem preço pra mim, o bem mais precioso que acumulo, resposta precisa a todos os meus movimentos e sempre um  incentivo para eu continuar crescendo...abaixo os falsos pudores (isso me lembra uma amiga mais velha que me dizia que uma mulher que chegou aos 40 e não tem noção sincera de seus defeitos e qualidades reais passou a vida em vão...)
que beleza chegar aos 80 assim como arlette pinheiro... alguns trechos do bilhete de claudio para a mãe:
arlette possui uma identidade secreta: fernanda montenegro, uma mutante que nasceu com alguma alteração genética que a fez transcender e derrotar, década após década, o desafio de permanecer contemporânea e, ao seu modo, revolucionária.
arlette derrotou o tempo e isso é visível no rosto dela.
...não se trata de uma história de sorte, e sim de sabedoria - a vida aparelhou essa mulher com amor, inteligência, discernimento, talento e coragem, e ela devolveu isso para a vida, através da mesma coisa que a libertou e aparelhou - a arte.
num outro momento de leitura no sofá, ao som da chuva, li uma entrevista linda de wayne shorter, o super músico de jazz-fusion (que conheci pessoalmente num café da manhã inesquecível aqui no rio), incentivando os super jovens budistas brasileiros (a revista é para leitores crianças e adolescentes). wayne shorter diz: nunca sejam dogmáticos....
vocês precisam ser abertos, todos os seus sentidos precisam estar abertos.
ele completou este ano 76 anos de vida com uma juventude que provoca  todos a sairem da linha de conforto e clausura...

domingo, 18 de outubro de 2009

diamantes são


diamantes são para sempre... eu sei o que é  para sempre  para mim... um dia, um renomado e sensível antiquário aqui do rio, disse para mim que se nós mulheres soubessemos quanto sangue e violência envolvem a extração de diamantes, jamais teríamos o mesmo olhar para essas jóias. o problema, penso eu, não são os diamantes, são as pessoas. parece óbvio o meu pensamento. infelizmente não é.


sábado, 17 de outubro de 2009

diamond dust shoes


diamond dust shoes, de andy warhol, do catálogo da sotheby'. não conhecia este trabalho - foi a leilão em londres, em julho, estimado entre 600 mil  e 800 mil libras.
radiografia dos passos.
sua chamada está sendo encaminhada para a caixa postal de....

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

a arte veio me abraçar


ontem de madrugada eu estava maré vazante, sabe como é? chovia lá fora e aqui dentro. um amigo me enviou um presente precioso que chegou às minhas mãos naquele instante : um catálogo de obras de arte da sotheby's, do último leilão de junho/julho em londres, com calder e seus móbiles na capa (sou apaixonada por calder!).oh, my god, que emoção ver tantas obras antigas e contemporâneas, a mais pura arte. meu coração se sentiu tão abraçado por todos esses artistas...que rico ficou o meu vazio.a cada página que virava,sentia a atemporalidade fazer cócegas de pluminhas macias em mim. meu coração bateu mais forte.
eu amo pintura vitoriana (também). o quadro dessa senhora no campo de verão é de herbert arnoud oliver, não é visto em público desde 1924 - avaliado entre 80 mil e 120 mil libras.
este vaso de renoir eu também não conhecia. é de 1889 - avaliado entre 1 milhão e 800 mil e 2 milhões e 500 mil libras.minha avó e mãe amavam gladíolas...
enquanto foleava o catálogo emocionada, mal conseguia acreditar que eu estava usufruindo a companhia de calder,goya, monet, andy warhol, obras que até ontem estavam trancafiadas em coleções particulares e que pude, algumas, ver pela primeira vez em minha vida. adoro essa sensação de primeira vez , quando o que vejo é o que nunca morre, arte elevada.
amanhã publico os sapatos de warhol, uma "radiografia de passos".
Related Posts with Thumbnails